Com apoio do Interlegis, Legislativo de Rondônia zera exclusão digital

por Letícia Almeida Borges publicado 08/11/2017 18h26, última modificação 08/11/2017 18h26
As 52 Câmaras do Estado têm portal na internet e convênio com o Senado

Rondônia não tem mais uma única câmara municipal sem presença na internet. Com a ajuda da Assembleia Legislativa, que promoveu treinamentos em todo o Estado, e o suporte do Programa Interlegis, todas as 52 câmaras de vereadores hoje têm portais na internet e convênio com o Senado.

— É, sem dúvida, uma grande honra para nós, do estado de Rondônia, podermos anunciar o fim da exclusão digital no Legislativo. Mais ainda saber que a Assembleia participou ativamente desse processo, num trabalho em parceria com o Programa Interlegis. Desde o início, ouvindo nossa assessoria que acompanha o Interlegis há anos, sabíamos que este era o caminho; e não apenas por causa da gratuidade dos produtos e serviços, mas pela sua qualidade, por levarem mais transparência, por sabermos que podemos sempre contar com o apoio do Senado — disse o presidente da Assembleia, deputado Maurão de Carvalho (PMDB).

O trabalho, no entanto, ainda não está concluído. Das 52 câmaras mais a Assembleia, 23 usam o Portal Modelo (ferramenta desenvolvida e oferecida gratuitamente pelo Interlegis), mas em 11 delas o portal está desatualizado. Há também 30 que usam portais de terceiros, muitas vezes pagando por esse serviço.

— Nossa intenção é fazer com que todas migrem para o Portal Modelo — diz Antonilson da Silva Moura, chefe da Divisão de Informática da Assembleia.

Juntamente com Jamilton da Silva Costa, diretor do Departamento de Informática, Moura vem participando da ação, que já fez com que 13 câmaras fossem treinadas na própria Assembleia que, segundo eles, se tornou referência no uso dos produtos Interlegis como o Portal e os Sistemas de Apoio ao Processo Legislativo e à Atividade Parlamentar. Houve também uma série de oficinas em cidades-polo do estado, realizadas a pedido do senador Valdir Raupp (PMDB-RO).

Transparência

De acordo com Costa, o Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado estão recomendando a adesão aos produtos, porque entendem que, com eles, as casas legislativas cumprem as exigências das Leis de Acesso à Informação e de Transparência.

— Para nós, é muito gratificante ver que o resultado do empenho, em primeiro lugar da Assembleia, e também das próprias câmaras, decididas a se modernizar — diz Francisco Etelvino Biondo, coordenador de Planejamento e Relações Institucionais do ILB/Interlegis.

Com informações da assessoria do ILB/Interlegis

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.