Athos Bulcão: A obra do artista está também no Interlegis

por monicaco — publicado 02/07/2008 16h52, última modificação 02/07/2008 17h10
O artista plástico Athos Bulcão completa este ano 90 anos. Sua arte também está imortalizada na sede do Programa Interlegis

conheça a Fundação Athos Bulcão


Athos Bulcão desembarcava em Brasília ao lado de Oscar Niemeyer. A cidade ainda era um imenso canteiro de obras no Planalto Central e o artista talvez não imaginasse que chegava para ficar. Hipnotizado com a falta de paisagem, o céu, esta vastidão e a sensação de espaço, ficou para instalar sua arte na nova capital, colaborando com o arquiteto que concebeu os prédios e monumentos erguidos numa corrida contra o tempo, "unindo arquitetura e artes plásticas com leveza, emoção, poesia e afetividade", dando cor e movimento à arquitetura de Niemeyer.

Essas são palavras que estão gravadas na página da Fundação Athos Bulcão na internet e colocamos aqui para comemorar os 90 anos deste artista plástico, que deixou um pedacinho de sua arte nos principais cartões postais de Brasília, como o edifício do Congresso Nacional

Quando da construção de sua sede, a diretoria do Interlegis convidou Athos Bulcão para colocasse sua arte na parede de frente no hall de entrada do edifício. E hoje lá está mais uma obra com sua assinatura, e ali está perenizada imaginação do artista, que neste 2008 completa 90 anos.

 

Athos Bulcão, o artista

Nascido no Catete, Rio de Janeiro, em 2 de julho de 1918, Athos passou sua infância em uma casa ampla em Teresópolis. Perdeu a mãe, Maria Antonieta da Fonseca Bulcão, de enfisema pulmonar antes dos cinco anos e foi criado com seu pai, Fortunato Bulcão, entusiasta da siderurgia, amigo e sócio de Monteiro Lobato, com o irmão Jayme, 11 anos mais velho, e com suas irmãs adolescentes Mariazinha e Dalila, que substituíram a mãe.

Enquanto crescia, passsava muito tempo dentro de casa e, por ser muito tímido, misturava fantasia e realidade. Na família havia um interesse pela arte e suas irmãs o levavam freqüentemente ao teatro, ao Salão de Artes, aos espetáculos das companhias estrangeiras, à ópera e à Comédia Francesa. Athos aos quatro anos ouvia Caruso no gramofone, e ensaiava desenhos sem no entanto chamar a atenção da família; chegou às artes graças a uma série de acidentais e providenciais lances do acaso.

Athos foi amigo de alguns dos mais importantes artistas brasileiros modernos, os maiores responsáveis por sua formação. Carlos Scliar, Jorge Amado, Pancetti, Enrico Bianco – que o apresentou a Burle Marx –, Milton Dacosta, Vinicius de Moraes, Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Ceschiatti, Manuel Bandeira entre outros.

A trajetória artística de Athos Bulcão é especialmente consagrada ao público em geral. Não ao que freqüenta museus e galerias, mas ao que entra acidentalmente em contato com sua obra, quando passa para ir ao trabalho, à escola ou simplesmente passeia pela cidade, impregnada pela sua obra, que "realça" o concreto da arquitetura de Brasília.

Athos Bulcão é o artista de Brasília! As obras que aqui realizou foram feitas para o convívio com a população e carregam a consideração por esta cidade e seus habitantes.

Fonte : Fundação Athos Bulcão


 

 

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.