Videoconferência avalia os resultados obtidos na primeira etapa do Programa Interlegis e define as metas do Interlegis II

por guilhermeguedes — publicado 17/11/2006 16h56, última modificação 20/11/2006 11h39
Representantes do Interlegis, do Banco Interamericano de Desenvolvimento e de Assembléias Legislativas avaliam positivamente o Programa e debatem ações para a próxima etapa

Videoconferência realizada na quinta-feira (09) reuniu representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e das Assembléias Legislativas dos Estados do Acre, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraíba e Rio Grande do Sul, além do Diretor do Programa Interlegis, Márcio Sampaio Leão Marques. O objetivo da videoconferência foi coletar informações sobre a atuação do Interlegis nas Assembléias Legislativas e conhecer as ações desenvolvidas nas casas a partir da estrutura oferecida pelo Programa Interlegis. Os participantes debateram sobre as principais questões em torno da primeira etapa do  Interlegis e sobre o futuro do Programa, com início da nova etapa, o Interlegis II.

Representantes do BID, Jose Navia - Especialista Multisetorial de Reforma e Modernização do Estado, e Pablo Valenti - Especialista em Modernização do Estado, aprovaram os resultados das ações do Interlegis. "Foi unânime a avaliação positiva do Programa Interlegis", afirmaram, destacando as contribuições do Interlegis ao desenvolvimento tecnológico do poder Legislativo e a participação do cidadão no processo Legislativo.

A videoconferência discutiu soluções para os principais problemas detectados, como equipamentos obsoletos em algumas casas e a interação entre as Assembléias Legislativas  e as Câmaras Municipais. Segundo Navia e Valenti, o Interlegis II irá potencializar os equipamentos buscando uma capacitação mais eficiente, e, através de Educação a Distância, cursos, e melhoramentos da tecnologia, fazer com que os vereadores sintam que as Assembléias  e as Câmaras  compõem uma parceria onde diferentes vereadores de diferentes municípios possam discutir temas comuns.

Os representantes também afirmam que o Interlegis não se limita à questão tecnológica e que as informações coletadas pelo Censo do Legislativo, realizado pelo Interlegis, serão fundamentais para a decisão dos rumos tomados na próxima etapa do Programa. "Os dados do Censo permitirão identificar as necessidades específicas dos estados para definir os passos seguintes de um projeto tão global e abrangente como o Interlegis", afirma Navia.

A partir das discussões realizadas na videoconferência e da análise das demais informações, os representantes do BID afirmam que o Interlegis II promoverá ações ainda mais abrangentes e permitirá que as Casas Legislativas se fortaleçam institucionalmente para aprimorar a capacidade de fiscalização, para que os municípios tenham melhores condições de administração de seu orçamento.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.