Encontro discute capacitação da comunidade do Poder Legislativo

por Rosiene Assuncao e Thiago Lucas — publicado 26/06/2006 15h44, última modificação 26/06/2006 15h45
Assembléias e escolas do legislativo de todo o país se reuniram na sede do Interlegis para buscar soluções que visam a integração e capacitação da comunidade legislativa

Representantes das assembléias e escolas do legislativo de todo o país estiveram nesta terça- feira (20) na sede do Programa Interlegis para discutir soluções que visam a integração da comunidade legislativa. Os representantes discutiram formas de unir os vereadores, servidores e escolas legislativas no objetivo de levar educação, modernização e comunicação para as casas em todo o país.

 

O coordenador da área de Capacitação do Interlegis, Maurício Silva e o chefe da Assessoria Técnica, José Dantas Filho conversaram com parte dos representantes. Dantas falou dos objetivos  Projeto Piloto de Modernização e abriu espaço para troca de informações entre eles. “Não estamos procurando saber das dificuldades, e sim juntando forças para agirmos segundo o que for possível, por hora”, afirmou.

 

Os representantes discutiram soluções, trocaram experiências e chegaram a uma pré- lista de afazeres, da qual sairão ações para o início de um melhor conhecimento da realidade das casas legislativas do país. Dentre as primeiras ações estão a  visita dos representantes às casas selecionadas pelo  Projeto Piloto de Modernização para saber o que deve ser feito para melhorar o funcionamento de cada uma delas.     

 

Debate sobre prioridades

 

A coordenadora do I Censo do Legislativo Brasileiro, Telma Venturelli  foi a mediadora de debates dos representantes das Assembléias e Escolas do Legislativo junto com a representação do Unilegis e Câmara dos Deputados que  suscitaram alguns impasses referentes à efetividade dos trabalhos que visam a melhoria das câmaras.

 

Um dos problemas levantados diz respeito à representação do Interlegis nas assembléias, pontuando a necessidade de haver ou não um representante indicado, seja pelo presidente da casa ou por uma comissão avaliadora. Eles devem exercer as funções designadas com maior abertura e cumplicidade, em parceria com a assembléia, proporcionando interatividade, otimizando sua atuação.

 

Outro fato levantado foi a manutenção dos equipamentos já doados pelo Programa. Nas assembléias e câmaras existe um quadro de problemas nas máquinas, que vai desde a desatualização à falta de normas que determinem as tomadas de ações para resolver as eventuais situações.

 

Dantas reafirmou aos representantes que “é hora de traçar metas e elaborar planos de melhoria para a capacitação do legislativo. Os problemas serão discutidos mais tarde. A troca de experiências e as  sugestões são essenciais para mapear a realidade das casas e as necessidades reais a serem trabalhadas”, concluiu.

 


Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.