Senador Wellington Fagundes fala sobre os custos do transporte ferroviário em workshop

por Debora Silva Barroso Pais publicado 31/05/2017 11h05, última modificação 31/05/2017 17h21
“Produtores brasileiros são produtivos da porteira pra dentro”, avalia senador ao explicar a logística de transporte dos insumos agrícolas

 

 

O senador Wellington Fagundes abriu o workshop Tecnologias Ferroviárias, promovido pelo Instituto Brasil Logística (IBL) e pelo Instituto de Engenharia no auditório do Interlegis nesta quarta-feira. Wellington Fagundes é o presidente da Frente Parlamentar de Logística (Frenlog). Ele alertou para a urgência de se modernizar este meio a fim de torná-lo atrativo e competitivo no transporte de grãos, minérios e outros commodities atualmente enviados pela malha rodoviária. Ele explicou que somente com investimento e recuperação da malha ferroviária atual será possível que as ferrovias brasileiras voltem a ocupar o seu papel protagonista no comércio brasileiro.

O senador também frisou que a ampliação da competição irá permitir a redução de preços e a melhoria da produção nacional e destacou o importante papel das concessões no passado para alguma modernização ocorrida há décadas mas que hoje sofre com o desgaste do abandono. Foi quando o senador deu o exemplo dos produtores brasileiros e suas dificuldades para comercializar seus produtos devido aos altos custos do transporte rodoviário.

O workshop irá apresentar experiências nacionais e internacionais na utilização de sistemas ferroviários de alta performance e eficiência. O evento também contou com o apoio do Instituto Nacional de Pesquisas Rodoviárias (INPF), órgão do DNIT. Francisco Etelvino Biondo, coordenador de Relações Institucionais do ILB falou lembrou que o sistema de videoconferência do disponível no Instituto, que permite a comunicação com as 26 assembleias legislativas mais a Câmara Legislativa do DF poderia servir como um fórum para discussões sobre o tema. Acrescentou também a expertise do Instituto em promover oficinas ou Encontros Interlegis dos quais possam resultar marcos legais e políticas públicas que colaborem para o desenvolvimento do setor.

O deputado federal Júlio Lopes, também presente, falou a respeito do Building Information Model (BIM) que pode ser entendido como um conceito de virtualização, modelagem e gerenciamento das atividades inerentes a projetos de construção de obras de engenharia. Seu uso, obrigatório na União Europeia, barateia em até 30% o custo de obras inclusive ferroviárias.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.