Questões femininas foram centro do debate em São Vicente (SP), em Oficina do Senado

por Letícia Almeida Borges publicado 06/04/2018 18h20, última modificação 10/04/2018 09h51
ILB e Procuradoria da Mulher, com a senadora Marta Suplicy, levaram evento para a região

A senadora Marta Suplicy (MDB-SP) dividiu com dezenas de mulheres da Baixada Santista sua longa experiência no movimento feminista brasileiro na manhã desta sexta-feira, 06/04, durante a Oficina Interlegis Senado Mulheres nas Casas Legislativas. Mais de cinquenta pessoas participaram do evento, entre elas representantes de pelo menos seis Câmaras Municipais. A vice-prefeita de São Vicente, Professora Lurdinha, também estava presente, bem como o anfitrião do encontro, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Wilson Cardoso.

O evento é uma parceria do Instituto Legislativo Brasileiro, ao qual está vinculado o Programa Interlegis, e a Procuradoria Especial da Mulher, além de outros órgãos ligados às questões de gênero do Senado Federal. Ele tem a duração de um dia, divido em duas partes: a abertura com convidados, com pelo menos uma palestra; e as oficinas que tratam de temas como saúde da mulher, violência e ascensão profissional.

A senadora Marta Suplicy falou de sua experiência pessoal, das conquistas das mulheres – com destaque especial para o que vem sendo feito no Parlamento – e dos problemas que ainda persistem. Discorreu sobre avanços em áreas como da Saúde e do Direito e deu conselhos: “A transformação virá de cada uma de nós, não podemos nos submeter ao machismo, seja em casa, seja no trabalho”.

Marta Suplicy se disse muito satisfeita por estar compartilhando ideias, inclusive com as vereadoras presentes, que resultem em empoderamento das mulheres. “Cada um tem que alguma coisa que quer fazer para mudar, senão não estaria aqui; então, comecem”.

Pelo formato do projeto, na parte da tarde houve a divisão das participantes em três oficinas, ministradas por especialistas do Senado: Rita Polli Rebelo, da Procuradoria da Mulher, Laura de Sousa, do Observatório da Mulher contra a Violência; e Maria Cristina Silva Monteiro e Ramila Moura, respectivamente diretora de Relações Pública e jornalista da Procuradoria da Mulher do Senado Federal. O ILB foi representado por Dalva Dutra, da Coordenação de Planejamento e Relações Institucionais.

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.