Eunício Oliveira exalta “brilhantismo” de Ronaldo Cunha Lima em lançamento de livro com discursos e poemas de ex-senador

por Letícia Almeida Borges publicado 25/04/2017 20h56, última modificação 25/04/2017 20h56
"Coleção Senadores da República: discursos memoráveis" é uma publicação do ILB

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) se disse orgulhoso ao participar ontem do lançamento do livro com uma coletânea de discursos e poemas do ex-senador Ronaldo Cunha Lima, a quem não poupou elogios. “Um dos homens mais cultos, mais brilhantes e, ao mesmo tempo, mais simples, que passaram por esta Casa”, disse ele, ao falar do primeiro volume da Coleção Senadores da República: discursos memoráveis, editada pelo Instituto Legislativo Brasileiro (ILB).

Ao comentar a iniciativa, Eunício disse que “a memória de um povo, de um país e de uma instituição é edificada a partir de seus protagonistas”, como o ex-senador, e lembrou que o livro ainda é o melhor instrumento para preservá-la. Ele referiu-se também ao fato de Cunha Lima ter sido, além de político, jurista e literato.

Filho do homenageado, o atual vice-presidente do Senado, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), se dizia particularmente emocionado, por ser, além de tudo, o dia do aniversário de sua irmã, a única filha mulher que Ronaldo Cunha Lima teve. Ele ressaltou o legado de humanismo e solidariedade deixado pelo pai, além de sua capacidade intelectual, carisma e habilidade como gestor. “Ele exerceu todos os cargos eletivos, menos o de Presidente da República, e o fez com muito espírito público”, lembrando ainda que o pai está presente em todos os dias da sua vida.

Cássio Cunha Lima destacou ainda as qualidades de oratória do pai e algumas das marcas que deixou como Primeiro-Secretário do Senado, em especial a ampliação do espaço da Biblioteca e a criação do Programa Interlegis. Ele também agradeceu a todos os presentes, muitos vindos da Paraíba, aos colegas senadores e aos servidores do ILB, que possibilitaram a edição do livro.

Outros senadores presentes à Biblioteca do Senado, como Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Antonio Anastasia (PSDB-MG) também enalteceram as qualidades de poeta e orador de Ronaldo Cunha Lima. O senador José Agripino (DEM-RN) foi um dos que mais conviveram com Cunha Lima entre os presentes e fez questão de lembrar o fato, não apenas por terem sido colegas no Senado, mas governadores dos seus Estados no mesmo período. E elogiaram a iniciativa do ILB, por preservar a memória de parlamentares e “eternizarem pessoas e ideias”, no dizer de Agripino.

Para o diretor-executivo do ILB, Helder Rebouças, foi uma grande satisfação prestar esta homenagem ao ex-senador Ronaldo Cunha Lima – que dá o nome ao prédio do Programa Interlegis, hoje incorporado ao Instituto – não apenas pelo lado institucional, como pelo lado pessoal, já que conviveu com ele no início da carreira. Cearense, disse que, certa feita levou uma reivindicação a Cunha Lima em forma de cordel, que o então Primeiro-Secretário respondeu na mesma linguagem, que dominava bem.

Sobre a publicação

Com um total de 224 páginas, o livro é dividido em três partes: na primeira, 27 discursos proferidos entre 1995 e 2002; na segunda, doze poemas sobre temas diversos; e, na terceira, 48 fotos em momentos variados de sua vida pública.

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.