Câmara de Paracatu busca apoio do Senado para reinauguração de Escola do Legislativo

por Debora Silva Barroso Pais publicado 12/02/2019 17h21, última modificação 12/02/2019 17h21
O presidente também conheceu os produtos tecnológicos do Interlegis e afirmou "é essa a parceira que eu quero"

O presidente da Câmara Municipal de Paracatu, Wilson Martins, a diretora da Escola do Legislativo, Fernanda Alzira Oliveira e o secretário geral Erasmo Silva estiveram no ILB na tarde desta terça-feira para buscar o apoio do Senado para a implantação de ações de aproximação com a comunidade, entre elas a reinauguração da Escola do  Legislativo.

A Escola, criada há 10 anos, vai ser reinaugurada e está passando por um processo de atualização do regimento interno. A medida visa dar segurança para que a instituição não seja desviada de sua finalidade, como ocorreu no passado. Durante a visita ao Senado, o grupo conheceu o presidente da Associação Brasileira das Escolas do Legislativo, o servidor aposentado, Florian Madruga, que deu orientações importantes para a efetivação e mesmo ampliação do projeto. A Abel conta com mais 200 escolas no país, instaladas em câmaras, assembleias e tribunais de contas dos estados. Florian frisou o seu caráter colaborativo e assumiu o compromisso de dar e indicar apoio para a Casa executar as ações que está pretendendo. A partir da conversa com Florian, aventou-se a ideia de que a Escola inaugure, nesse dia, uma biblioteca e um memorial.

O grupo veio ao ILB por indicação de Fernanda, membro ativo do grupo Interlegis de Tecnologia, o Gitec. Envolvida na organização dos últimos Encontros Interlegis de Tecnologia, EnGITECs, Fernanda é entusiasta dos produtos do Programa e, com o aval do presidente, irá implantar outras ferramentas, além do SAPL que a Casa já utiliza.

O coordenador geral do ILB, João Henrique Gouveia e o coordenador de Tecnologia da Informação, Sesostris Vieira, falaram sobre os produtos Interlegis como Portal Modelo, e-mail legislativo, hospedagem, o painel eletrônico para votações do SAPL e destacaram que todos esses produtos são oferecidos gratuitamente para as casas. Gouveia destacou que a intenção do Interlegis é promover condições para que as casas sejam independentes. Em outras palavras, ainda que utilizem quaisquer produtos desenvolvidos no âmbito do Programa, elas têm a liberdade de hospedar esses sistemas na nuvem do Interlegis ou em sua própria base de dados. Sesostris, por sua vez, reforçou que todas as casas legislativas conveniadas são parceiras e se ajudam mutuamente: “o Interlegis é só mais um parceiro dessa comunidade”, explicou.

A explanação agradou o presidente: “nosso lema é economia de verba pública”, afirmou ao se dizer satisfeito com o resultado da reunião. “É esse tipo de parceria que viemos buscar”, finalizou.