EnGITEC 3º dia- Comunidade discute a adoção do domínio .leg.br

por laborges — publicado 27/10/2011 19h10, última modificação 11/11/2011 10h02
No final, avaliação positiva e sugestões para o próximo ano

A adoção do domínio .leg.br para as casas legislativas de todo o país provocou debates e levantou várias questões no terceiro dia do EnGITEC. Na palestra, o analista do Interlegis, Jean Ferri, historiou as discussões sobre o tema - que surgem a partir do momento em que o Judiciário adotou o .jus.br. Falou sobre a necessidade de padronização dos domínios, as dificuldades que hoje são encontradas e os benefícios que daí poderão surgir.

O diretor de tecnologia do Interlegis, Ricado Ramos, aproveitou a oportunidade para dizer que, numa reunião recente entre Câmara, Senado e Tribunal de Contas da União, a ideia foi muito bem aceita. Segundo ele, é só uma questão de tempo para ajustar as particularidades de cada casa e, então, deve ser feito um lançamento nacional sobre a adoção do novo domínio para todo o Legislativo brasileiro.

No início da manhã - que teve espaço até para sorteio de camisetas e bonés - , Luiz Fernando Pires Machado, assessor do Interlegis, abordou o tema "Direito Digital, com ênfase em crimes cibernéticos". Depois, foi a vez de Leandro Roberto da Silva que contou as dificuldades e conquistas na construção e customização do Portal Modelo da Câmara Municipal de Jataí.

À tarde, o analista de informática do Interlegis, Sesóstris Vieira, falou sobre a forma que o programa SAAP 2.0 na Nuvem é utilizado e afirmou que a sua potencialidade é enorme. Ele lembrou ainda que todos os Softwares usados no Interlegis estão em constante desenvolvimento. E “com o SAAP 2.0 não é diferente”, afirmou.

Nos debates, o técnico Hirginio Vieira disse que o SAAP 2.0 deve ser aberto a nuvem para cada parlamentar que deseja utilizá-lo. Segundo ele essa é a melhor forma de democratizar a ferramenta.

Em seguida, tendo como tema Gestão da Criatividade e Inovação, o analista legislativo José Augusto Parreira de Oliveira ponderou que produzir algo novo, útil e conceitual é extremamente pessoal.  

Outros dois minicursos fecharam o último dia do EnGITEC: customização do Portal Modelo, ministrado pelo funcionário  da Câmara de Apucarana, Ivan Lucio Garcia.; e customização do Portal Modelo de Jatai, com ênfase em redes sociais, com Leandro Roberto da Silva, tecnólogo em sistemas de informação.

BALANÇO

De acordo com Ângelo Marcondes Neto, colaborador GITEC desde 2005, e um dos organizadores do encontro, o EnGITEC desse ano foi proveitoso, mas na sua avaliação e, a partir de conversas com os participantes, ele acredita que esse modelo de palestra está defasado. A idéia para o ano que vem é aproveitar outros estilos de evento, palestra mais rápidas que fomentem a discussão. “O EnGITEC precisa ter como foco uma grande discussão, mais do que somente palestra para os participantes”, afirmou Ângelo.

Mais de 200 pessoas participaram dos três dias de debates, palestras e cursos. No fim do dia, eles se reuniram para uma ampla avaliação, críticas e sugestões de mudanças para o próximo ano.Foram levantadas questões como inserção de patrocínio para trazer mais palestrantes, cobrança de inscrição, mudança de espaço físico, pré-seleção do público-alvo para direcionar palestras de acordo com o nível técnico de cada um, e ainda, sugestão para que haja nos próximos eventos mais troca de experiências quanto à dinâmica do trabalho no dia-a-dia das câmaras e não apenas palestras.

Segundo Winter Duarte, técnico de informática há 36 anos que participou do Gitec pela primeira vez, “o evento foi extremamente rico pois pude ter contato com o mercado de trabalho e ver de perto pessoas tão atuantes em minha área".

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.