Arquivo do Senado: a História do Brasil em nossas mãos.

por barbosander — publicado 08/01/2010 15h11, última modificação 08/01/2010 16h23
Funcionário da Subsecretaria de Arquivo do Senado Federal dá dicas de como uma casa legislativa pode tratar documentos antigos que muitas vezes estão guardados de forma incorreta sofrendo os danos causados pelo tempo


Um dos acervos mais completos e antigos de todo o país, a Subsecretaria de  Arquivo do Senado Federal guarda, conserva e mantém vivos documentos que contam a História do Brasil. Lá se pode encontrar cerca de  7.300 documentos do Império, desde a chegada da Família Real e  aproximadamente 6.500 da República Velha, como o da Assinatura da primeira Constituição Republicana, de 1891, que também está representada  por um quadro de Gustavo Hastoy, em exposição no Salão Nobre do Senado.

Segundo o arquivista Fernando Franca, o documento mais antigo arquivado data de 1788. “Ele vem do tempo do Brasil colônica e esteve preservado passando pelas duas antigas sede do Senado, os palácios Conde dos Arcos e Monroe até aqui".

Além de todos esses documentos, o arquivo é constituído por processos legislativos, emendas à Constituição, medidas provisórias, documentos de CPI,  projetos de lei, de decretos legislativos, e também por mais de 40 mil imagens fotográficas dos trabalhos da Casa.

De acordo com Fernando, todo o acervo passa por uma rigorosa limpeza e se necessário por restauração. “Quando os documentos chegam aqui  são tirados os grampos, clipes e tudo que não é necessário para a conservação. Alguns vêm com ferrugens, sujeiras. É utilizada uma técnica muito simples de pó de borracha para a remoção das impurezas. Depois  são armazenados em caixas  separadas por tipo de documentação e data. De duas a três vezes por semana eles passam por limpezas a seco, para a melhor conservação.

O arquivo não tem costume de digitalizar documentos, pois eles perdem o valor histórico, fazemos somente quando algum pesquisador solicita. O que temos digitalizado são  alguns volumes de constituições antigas, porém estamos com projeto de digitar todo acervo”, afirma o arquivista.

Como montar um arquivo

O arquivista Fernando Franca deu dicas de como uma casa legislativa de menor porte, tem que fazer para criar o próprio arquivo. “Primeiramente armazenar os documentos em  caixas arquivos datadas, os funcionários tem que tomar muito cuidado com o manuseio e preservação, sempre usar luvas, máscaras para nenhuma umidade do corpo ser passado para o documento”, diz o arquivista.

Segundo ele outra coisa básica é tomar cuidado com a umidade, o calor e o frio excessivo. “A sala do arquivo tem que está com a temperatura entre 18 a 22 graus, e tomar muito cuidado com a limpeza, não se pode jogar água no chão por causa da umidade, o máximo que se pode fazer é limpá-lo com um pano úmido e espanar todas as caixas e estantes. Tudo isso para não ocorrer nenhum prejuízo ao material”, afirmou.

Fernando Franca sugeriu ao final que se a casa tiver interesse poderá contratar um especialista em arquivo, "que entenda a legislação arquivística, para tomar conta e organizar todo o material com a técnica apropriada para a melhor preservação ", concluiu .

A Subsecretaria de Arquivo do Senado Federal é aberto ao público e recebe visitações técnicas de casas legislativas de todo o Brasil, todos os dias nos horários de 8h30 às 18h30, porém há necessidade de agendamento.

Para mais informações e marcar a visita é só acessar o site http://www.senado.gov.br/sf/senado/sarq ou entrar em contato pelos telefones (61) 3303-3415 e (61) 3303-3416.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.