Julho

por Administrador do Site publicado 03/11/2015 18h50, última modificação 04/11/2015 11h30

Instituto Pró-Livro patrocina 17ª edição do Congresso de Leitura do Brasil

por brendaortiz — publicado 01/07/2009 15h36, última modificação 01/07/2009 15h42
O evento reunirá diferentes profissionais brasileiros e estrangeiros ligados ao universo do livro e da leitura e será um espaço de reflexão e socialização de experiências, de produção e divulgação de pesquisas e projetos educativos

O Instituto Pró-Livro cuja missão é fomentar a leitura no país, será um dos patrocinadores da 17ª edição do Congresso de Leitura do Brasil (Cole), organizado pela Associação de Leitura do Brasil e que acontece de 20 a 24 de julho na Unicamp, em Campinas. O evento reunirá diferentes profissionais brasileiros e estrangeiros ligados ao universo do livro e da leitura e será um espaço de reflexão e socialização de experiências, de produção e divulgação de pesquisas e projetos educativos, de aprofundamento e entendimento das práticas culturais, de atuação e incentivo a políticas públicas.

 

Para o Instituto, estar envolvido nas boas iniciativas que venham de encontro com sua missão é uma forma de unir forças em torno de uma causa maior e que beneficiará os brasileiros e seu futuro.

 

Sônia Jardim, a nova presidente do Instituto Pró-Livro, fará a abertura oficial do evento no dia 20 e, o consultor Galeno Amorim, a convite do IPL, apresentará detalhes da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo Pró-Livro ao Ibope Inteligência e divulgada em 2008.

 

O Instituto Pró-Livro começou a funcionar efetivamente em 2007. Em pouco mais de dois anos de atuação, deu passos largos no sentido de transformar o Brasil num país de leitores. Com o apoio das entidades fundadoras, que representam o setor livreiro – Abrelivros, CBL e SNEL, o IPL traçou um plano de ação orientado por sua principal estratégia que é a de contribuir para a formulação e implementação de políticas públicas de fomento à leitura. Para os primeiros anos de atuação, o Instituto se propôs a desenvolver ou apoiar projetos seguindo eixos estratégicos que orientam suas ações.

 

Começou em grande estilo, com a realização da segunda edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, que forneceu informações fundamentais para a reflexão, gerou inúmeros debates entre especialistas, tendo sido apresentada ou citada nos principais eventos promovidos pelos órgãos da educação e cultura que ocorreram em 2008.

 

Essa pesquisa gerou desdobramentos como o Seminário Retratos da Leitura onde foram apresentados os seus resultados e a Biblioteca Pró-Livro, um projeto concebido pelo IPL na 20ª Bienal Internacional do Livro, em São Paulo, em agosto de 2008. 

 

Em abril deste ano, o IPL ainda instalou uma contação de história acessível, durante a Reatech e, patrocinou em parceria com a Fundação Dorina Nowill para Cegos, livros em braile e a versão falada de Reinações de Narizinho. O Instituto está incansável em sua luta pelo fomento à leitura. Para conhecer mais sobre os projetos próprios ou os patrocínios e apoios, basta entrar no site:  www.prolivro.org.br.

Instituto Pró-Livro

por brendaortiz — publicado 06/07/2009 16h32, última modificação 06/07/2009 16h34
Conheça mais sobre o projeto que tem como missão transformar o Brasil num país leitor

“Ainda farei livros onde as crianças possam morar”, disse Monteiro Lobato. É com esse espírito que o Instituto Pró-Livro instalou o "Sítio do Pró-Livro" durante a VIII REATECH – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade, que começou no dia 02, em São Paulo. O objetivo é mostrar que a leitura se torna cada vez mais acessível para todos. 


Esse é só um exemplo das muitas ações que o ILP, criado em outubro de 2006, como resultado de estudos e conversação entre representantes do governo e entidades do livro, constitui uma resposta institucional à preocupação de especialistas de diferentes segmentos – públicos e privados – das áreas da educação, cultura e de produção e distribuição do livro, pelos níveis de letramento e hábitos de leitura da população em geral e, em particular, dos jovens, significativamente inferiores à média dos países industrializados e em desenvolvimento. 


O IPL resume sua missão em contribuir para transformar o Brasil em um país leitor, promovendo, incentivando e buscando formas de consolidar o hábito da leitura, com ações voltadas a melhoria do acesso ao livro, também como promovendo a ampliação da base de apoio ao livro e a leitura, entre as entidades culturais.


Para conhecer mais sobre o IPL que é incansável em sua luta pelo fomento à leitura, basta entrar no site:  www.prolivro.org.br.

Software Musibraille

por brendaortiz — publicado 08/07/2009 13h26, última modificação 10/07/2009 17h13
Programa é uma iniciativa que amplia as possibilidades para deficientes visuais terem acesso ao estudo da música e capacita profissionais que desenvolvem ações nessa área

O Software Musibraille - uma iniciativa que amplia as possibilidades para deficientes visuais terem acesso ao estudo da música e capacita profissionais que desenvolvem ações nessa área - será lançado nesta quarta-feira, 8 de julho, às 10h, na Biblioteca Nacional, em Brasília.

Primeiro programa para computador em língua portuguesa que faz a transcrição de partituras para a Linguagem Braille, foi desenvolvido com o apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e patrocínio da Petrobras. A cerimônia de apresentação e disponibilização para o público contará com a presença do secretário da Identidade e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Américo Córdula.

O projeto foi criado pela coordenadora do Curso de Musicografia Braille da Escola de Música de Brasília (EMB), Dolores Tomé, e pelo professor Antônio Borges, do Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Para divulgar o Software Musibraille serão realizadas oficinas de capacitação em cinco capitais brasileiras, sendo uma de cada região geográfica do país. O treinamento começa em Brasília, de 8 a 10 de julho, e segue para Recife, de 4 a 7 de agosto, Belém, de 2 a 5 de setembro, Rio de Janeiro, de 6 a 9 de outubro, e termina em Porto Alegre, de 10 a 13 de novembro.

Durante os encontros, também serão distribuídos o livro em tinta para os professores e o caderno de exercício em Linguagem Braille para o professor aplicar ao aluno deficiente ou vice-versa. O programa ainda será disponibilizado, gratuitamente, por meio da página eletrônica intervox.nce.ufrj.br/musibraille, na qual professores, alunos portadores da deficiência e o público em geral poderão fazer o download.

Senado Cultural e Sesc realizam exposição 'A volta ao mundo em 80 jogos'

por Agência Senado — publicado 10/07/2009 16h13, última modificação 14/07/2009 17h10
O local do evento, o Salão Negro do Senado Federal, estará aberto à visitação todos os dias, de domingo a domingo, das nove da manhã às cinco da tarde, no período de 14 a 31 de julho

O programa Senado Cultural e o Serviço Social do Comércio do Distrito Federal (Sesc-DF) realizam a exposição "A volta ao mundo em 80 jogos", no período de 14 a 31 de julho. O local do evento, o Salão Negro do Senado Federal, estará aberto à visitação todos os dias, de domingo a domingo, das nove da manhã às cinco da tarde. A partir dos quatro anos de idade as pessoas já podem interagir com os jogos, que são divididos nas categorias quebra-cabeças, desafios e jogos de estratégia.

A abertura oficial ocorrerá na próxima terça-feira (14), às 15 horas. O presidente do programa Senado Cultural, senador Marco Maciel (DEM-PE), e o presidente do conselho regional do Sesc, senador Adelmir Santana (DEM-DF), deverão comparecer ao evento.

Uma das estrelas da mostra é o jogo africano Mancala, que tem cerca de 7 mil anos de existência e é considerado o mais antigo do mundo. De acordo com historiadores, teria surgido no Egito, no Vale do Rio Nilo, de onde teria alcançado toda a África e o oriente. Seus tabuleiros mais antigos foram encontrados em escavações no Egito e em Atenas.

O Mancala é apenas um dos 94 jogos que os visitantes conhecerão. São jogos de tabuleiro dos cinco continentes, conhecidos do público ou raros. A história dos jogos tradicionais e de culturas milenares é resgatada na exposição. O objetivo é trazer à memória e levar ao conhecimento dos participantes essas atividades de forma lúdica, pedagógica e interativa.

O acervo faz parte do material resultado de expedições realizadas nos cinco continentes pelo pesquisador Maurício Lima, do Instituto Gerson Sabino/Origem Jogos e Objetos, de Belo Horizonte. O Instituto é uma entidade sem fins lucrativos que incentiva atividades educacionais e culturais ligadas ao universo lúdico. Durante os 18 dias da exposição, monitores especializados vão levar o público a uma viagem pelos cinco continentes por meio dos jogos. A participação não tem limite de idade e a entrada é gratuita.

Jogo da onça

Um dos pontos altos da exposição é o jogo da onça, que teria sido originado no Brasil, mais precisamente na aldeia dos índios bororós, antes da chegada dos portugueses ao país. Ele pode ser jogado no chão, com o tabuleiro traçado na areia. São utilizadas 14 peças representando cachorros e uma que seria a onça. Um dos jogadores, que movimenta a onça, tem o objetivo de capturar os cachorros. O outro, que atua com os cachorros, procura encurralar a onça e deixá-la sem possibilidade de movimentação.

Também fazem parte do acervo da exposição jogos como o xadrez de Bauhaus, criado pela escola de arquitetura alemã; e o xo dou qi, espécie de xadrez japonês. Cada um deles possui particularidades, origem e regras que serão repassadas pelos monitores. Além da mostra, serão ministradas oficinas. Durante as aulas, os participantes poderão confeccionar jogos e aprender um pouco mais sobre a história de cada um deles.Maiores informações sobre a exposição podem ser obtidas com Zenildo (SESC-DF) 3319-4431.

Ministério do Meio Ambiente lança campanha "Saco é um saco"

por brendaortiz — publicado 10/07/2009 17h11, última modificação 10/07/2009 17h16
Campanha visa conscientizar o consumidor sobre os impactos ambientais causados pelo uso excessivo e descarte inadequado dos sacos plásticos

O Ministério do Meio Ambiente lançou em junho a campanha nacional “Saco é um saco”, que visa conscientizar o consumidor sobre os impactos ambientais causados pelo uso excessivo e descarte inadequado dos sacos plásticos.

    No Brasil, o problema das sacolinhas plásticas é da ordem de bilhões. Estimativas da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) contabilizam cerca 12 bilhões de sacolas plásticas consumidas por ano no país. No mundo, são entre 500 bilhões e 1 trilhão de sacolas plásticas distribuídas anualmente. Uma sacolinha pode parecer inofensiva, mas o impacto ambiental coletivo desses bilhões de sacolinhas é enorme.

    Com o lema “Saco é um saco. Pra cidade, pro planeta, pro futuro e pra você”,  a campanha quer mostrar ao consumidor que com pequenas atitudes como recusar uma sacolinha plástica na hora de comprar um pequeno item, utilizar uma sacola retornável para as compras no supermercado ou exigir do varejista uma sacolinha mais resistente, ele pode estar contribuindo para a preservação do meio ambiente e construção de uma sociedade sustentável.

    No blog da campanha - www.mma.gov.br/sacolasplasticas - o internauta poderá deixar sua opinião e tirar dúvidas, além de encontrar o material da campanha e dicas de como reduzir o consumo de sacolas plásticas.

    Já são parceiros dessa iniciativa a rede varejista Wal-Mart, o Grupo Cultural AfroReggae, o Instituto Akatu e a Revista Eco 21. A campanha terá um Selo de Adesão para empresas e instituições interessadas em serem parceiros da campanha e que se comprometerão a implementar ações que ajudem o consumidor a adotar este novo hábito.

    A campanha quer alertar a população sobre a importância de se reduzir o consumo de sacolas plásticas, utilizando alternativas para o transporte das compras e acondicionamento de lixo, e recusando sacos e sacolinhas sempre que possível.  Apostamos no poder de decisão do consumidor como ação transformadora de hábitos e atitudes.

Projeto Cisternas nas Escolas será implantado no Semiárido baiano

por brendaortiz — publicado 20/07/2009 13h38, última modificação 20/07/2009 13h39
Quarenta e três escolas da zona rural de 13 municípios da Bahia foram escolhidas para receber o Projeto Cisternas nas Escolas
Quarenta e três escolas da zona rural de 13 municípios da Bahia foram escolhidas para receber o Projeto Cisternas nas Escolas. O planejamento deste Projeto foi discutido em um seminário realizado nos dias 13 e 14 deste mês, em Salvador, na Bahia. O evento contou com a participação de professores, representantes de comissões municipais de recursos hídricos, dos governos (municipais, estadual e federal), do Unicef e de entidades da sociedade civil como o Movimento de Organização Comunitária (MOC) e o Centro de Assessoria do Assuruá (CAA), que fazem parte da Articulação no Semi-Árido Brasileiro (ASA Brasil).

Na ocasião, foi aprovada a criação de uma Carta Compromisso para reforçar o comprometimento de todos os setores envolvidos na execução do Projeto. O documento contará ainda com a inclusão de sugestões propostas pelos participantes.

A expectativa é que, com o Cisternas nas Escolas, cerca de 4 mil pessoas sejam beneficiadas com a construção de reservatórios para o consumo humano e cisternas-calçadão, cuja água armazenada é utilizada na produção de alimentos. Nas escolas contempladas, serão implantadas também hortas comunitárias. Além disso, 811 cisternas de consumo humano serão construídas para atender as famílias que moram próximo a essas escolas.

As 13 Unidades Gestoras Microrregionais (UGM's) que compõem a ASA na Bahia serão as responsáveis pela construção dessas tecnologias. O recurso já foi repassado pelo CAA, organização que vai coordenar a execução do Projeto.

O coordenador executivo da ASA, Naidison Baptista, acredita que o Projeto é uma oportunidade de abrir outros horizontes para o trabalho que a ASA já vem realizando na região. "O P1MC [Programa Um Milhão de Cisternas] é uma ação específica da ASA. Já o Projeto Cisternas nas Escolas exige outra dimensão, não se pode construir uma cisterna na escola sem uma parceria com a Secretaria de Educação. Com isso, a Articulação abre outro leque de atuações que possibilita a viabilização do Semiárido", afirma.

A iniciativa do Projeto Cisternas nas Escolas foi inspirada no "Pacto Nacional Um Mundo Para a Criança e o Adolescente do Semiárido", proposto pelo Unicef. A ação visa garantir a segurança alimentar e nutricional de crianças em idade escolar e, consequentemente, um melhor aproveitamento pedagógico.

Mário Augusto Neto, coordenador do CAA, considera que este é um marco para as políticas públicas na região. "Essa atividade é um marco porque, ao longo dos nossos 19 anos de atuação, pela primeira vez conseguimos reunir o Unicef, três níveis de governo e a sociedade civil para construir uma ação nas escolas do Semiárido", concluiu.

Números - A Bahia possui 264 municípios na região do Semiárido, o maior número entre os estados brasileiros. Estima-se que, nos períodos de estiagem, cerca de dois terços dos 565.777 mil domicílios rurais da região, que ainda não possuem cisternas, necessitem buscar outras fontes de águas para o consumo doméstico. Esta é uma atividade que geralmente é exercida por mulheres e crianças. O Projeto Cisternas nas Escolas pretende melhorar a vida de várias dessas famílias, que a partir da implantação das tecnologias, terão acesso à água de qualidade.

Municípios - Os municípios contemplados são Araci, Boa Nova, Boquira, Central, Chorrochó, Iaçu, Ibitiara, Lajedo do Tabocal, Marcionílio Souza, Oliveira dos Brejinhos, Pindaí, Quijingue e Ribeirão do Largo.

Saneamento de informações, reunião e comissão na programação do Interlegis

por brendaortiz — publicado 23/07/2009 14h07, última modificação 23/07/2009 14h08
Veja a agenda de eventos do Programa Interlegis para a semana de 27 a 31 de julho

Na semana de 27 a 31 de julho o Programa Interlegis receberá três eventos. De segunda à sexta-feira (27 a 31), acontece o Saneamento de Informações do Processo Legislativo para servidores da Secretaria Geral da Mesa do Senado Federal, das 9h às 18h na sala de treinamento.

Também na segunda-feira (27), haverá a Comissão Intersetorial de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, promovida pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos para Membros da Comissão Interministerial. O evento será na sala de apoio do Interlegis, das 14h às 18h.

Na manhã de quinta-feira (30), acontecerá a Reunião com a União Brasileira dos Serviços de Referência em Triagem Neonatal – UNISERT, promovida pelo gabinete do Senador Flávio Arns para servidores.

Videoconferências e saneamento de informações no Interlegis

por brendaortiz — publicado 30/07/2009 14h06, última modificação 30/07/2009 14h07
Veja a programação do Programa Interlegis para a semana de 3 a 7 de agosto

Três eventos estão marcados para a agenda desta semana (3 a 7) do Programa Interlegis. De segunda à sexta-feira (3 a 7), haverá o Saneamento de Informações do Processo Legislativo para servidores da Secretaria Geral da Mesa do Senado Federal, na sala de treinamento do Interlegis, das 14h às 18h.

Na quarta-feira (5), será realizada a videoconferência do VII Encontro Nacional dos Conselhos da Pessoa Idosa, das 16 às 18h, na sala de videoconferência. Este evento é uma iniciativa da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República destinada a todos os conselheiros estaduais.

Na quinta-feira (6), acontecerá a videoconferência X Seminário Nacional de Biocombustível  no Brasil: Competitividade, Produtos, Tecnologias e Inclusão Social, no auditório Senador Antônio Carlos Magalhães do Programa Interlegis, durante todo o dia. O seminário é um evento do Instituto Brasileiro de Ação Responsável, para formadores de opinião, tomadores de decisão do poder público (legislativo, executivo e judiciário), iniciativa privada e representante da sociedade civil.

Santa Catarina em peso no Interlegis

por Equipe Interlegis — publicado 15/07/2009 17h00, última modificação 15/07/2009 17h02
Colaboradores: Guilherme Guedes
Vereadores da Associação de Câmaras Municipais do Noroeste de Santa Catarina (ACANOR), em Brasília para a XII Marcha em Defesa dos Municípios, visitaram a sede do programa na última quarta-feira


Na quarta-feira (15), representantes da Associação de Câmaras Municipais do Noroeste de Santa Catarina (ACANOR), realizaram visita à sede do Interlegis, em Brasília. Liderados por Sebastião Borges, presidente da associação e vereador do município de Campo Erê, os vereadores puderam conhecer a infra-estrutura física e as principais ações do programa.

Para Borges, a ação do Interlegis é essencial. "Os projetos do Interlegis vão ao encontro dos interesses de todos os legisladores municipais", disse. "Vir a Brasília e não conhecer o Interlegis é como ir a Roma e não conhecer o Papa", brincou.

Os vereadores estão na capital federal para a realização da XII Marcha em Defesa dos Municípios, organizada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Foi justamente na edição anterior desse evento, realizada em 2008, que o presidente da ACANOR conheceu o Interlegis. "Gostei muito do que vi aqui e resolvi convidar os colegas dos outros municípios a conhecer o Interlegis", disse.

A ACANOR é formada por dez câmaras municipais do Noroeste do estado de Santa Catarina: Coronel Martins, São Lourenço do Oeste, Campo Erê, São Bernardino, Galvão, Quilombo, São Domingos, Jupiá, Novo Horizonte e Santiago do Sul. Para mais informações, acesse http://www.acanor.org.br.

Comunidade Virtual do Interlegis: um modelo para o Executivo brasileiro

por monicaco — publicado 01/07/2009 15h40, última modificação 01/07/2009 15h41
Um grupo de servidores do Ministério da Integração esteve nesta quarta-feira (01) em visita à sede do Programa Interlegis para saber como se forma uma comunidade virtual

Servidores do Ministério da Integração estiveram nesta quarta-feira (1) na sede do Programa Interlegis para conhecer mais de perto o que é a comunidade virtual, pois é idéia da Secretaria de Desenvolvimento Regional criar um grupo nos moldes do programa para inserir todos os envolvidos na parte de desenvolvimento regional em todas as áreas, como educação e Tecnologia da Informação.

 

Foram recebidos pelo chefe do Serviço de Capacitação, Mauricio Silva, que fez uma apresentação da plataforma Saberes, apresentando os cursos a distancia  que são disponibilizados

Indagado qual é o publico que pode fazer cursos, Mauricio respondeu que até este semestre qualquer pessoa, mas que a partir do próximo, somente servidores das casas legislativas.

Depois os servidores conheceram as instalações da sede como a sala de videoconferência, o auditório Senador Antonio Carlos Magalhães e a sala de treinamento.

Depois tiveram uma conversa com o consultor na área de Tecnologia da Informação, Jean Rodrigo Ferri, sobre como se constrói um portal  e as vantagens de se usar software livre.

Marina Christofidis, Yana de Faria, Kleber da Silva Bandeira e Rony Cezar Almeida conversaram com o diretor da Subsecretaria de Formação e Atendimento à Comunidade Legislativa, James Carvalho, que discorreu sobre as atividades desenvolvidas pelo setor, como a criação da parte visual, material de divulgação do Programa, que sempre é distribuído para os eventos dentro do Legislativo.

Falou também do  portal, da organização de fóruns, seminários com assuntos de interesse dos parlamentares.

James Carvalho lembrou das metas cumpridas na primeira fase do programa e falou das que serão cumpridas na segunda fase nos próximos anos.

Os servidores  se disseram impressionados com o viram, unânimes em afirmar que não esperavam que o Interlegis fosse um programa dessa envergadura. E que pretendem utilizar do ambiente da sede, como sala de treinamento para aprimoramento do trabalho dentro do projeto que desenvolvem.

 

Conheça mais sobre o Interlegis

por monicaco — publicado 10/07/2009 17h26, última modificação 10/07/2009 17h27
O Interlegis é cada dia mais a consolidação de um programa que veio para integrar as casas legislativas em todos os lugares deste país

O Programa Interlegis é uma parceria do Senado Federal e do Banco Interamericano de Desenvolvimento que tem como objetivo levar condições para que as casas legislativas até as mais longínquas possam desenvolver suas atividades legislativas e administrativas . Por isto o Interlegis atua em três principais áreas: tecnologia, informação, comunicação e capacitação e assim levando ferramentas para a modernização do legislativo brasileiro.

Mas o Interlegis é acima de tudo a reunião de casas legislativas. Para isto criou-se um portal www.interlegis.gov.br, onde estão os dados sobre o legislativo em todas as esferas e é também um meio para que se divulgue  as atividades ou mesmo projetos e programas que servirão como exemplos para outras, muitas vezes a  quilômetros de distancia.

Também para dar condições aos servidores de se atualizarem e assim utilizarem todos os serviços e produtos do Interlegis, criou-se o Serviço de Capacitação com cursos presenciais ou distancia. Somente no primeiro semestre deste ano mais de onze mil fizeram os diversos cursos disponibilizados.

Mas a capacitação também leva cursos presenciais às câmaras como treinamento para o uso do Sistema de Apoio ao Processo Legislativo – SAPL, um dos produtos Interlegis que auxilia na organização e na tramitação de matéria legislativas.

E quanto à sede? Quantos presidentes de câmaras vêm visitá-la para conhecer as suas instalações modernas, saber que tem um dos melhores sistemas de videoconferência que se pode conectar com qualquer lugar. Que a sede possui uma sala especialmente criada para que o vereador, quando vem a Brasília, tenha seu escritório e não fique sem um lugar para fazer contatos ou mesmo passar email, escrever, o “Espaço do Parlamentar”.

Os parlamentares conhecem a sala de treinamento que é utilizada por vários organismos,  como também o auditório Senador Antonio Carlos Magalhães, com capacidade para 108 pessoas, onde acontecem  seminários, palestras. E ao lado tem a sala de apoio que complementa o auditório.

Toda essa estrutura está à disposição dos legislativos e até mesmo de organismos , um prédio moderno para onde se dirigem os parlamentares do país interessados em saber um pouco mais deste programa que com 12 anos de grandes conquistas e metas alcançadas e que agora se prepara para uma nova etapa com mais desafios.

 

 

Servidores de câmaras municipais de todos os cantos se encontram em Foz do Iguaçu

por Abrascam — publicado 15/07/2009 14h23, última modificação 15/07/2009 14h30
Servidores de câmaras municipais se reuniram em Foz do Iguaçu/PR para debater diversos assuntos de interesse do legislativo


Servidores de câmaras municipais de todo o país estiveram reunidos na cidade de Foz do Iguaçu/PR durante a realização do XXIV Congresso Brasileiro de Servidores de Câmaras Municipais, de 07 a 10 de julho último.

 
Segundo o presidente da Associação Brasileira de Servidores de Câmaras Municipais – Abrascam, Relindo Schlegel, o evento tem como objetivo possibilitar o encontro entre colegas visando, acima de tudo o aperfeiçoamento, proporcionando aos servidores a capacitação para a melhoria dos serviços legislativos. Remetendo a PEC dos Vereadores que tramita no Congresso Nacional.

 Schlegel salientou a importância, no ano que passou, do acompanhamento da Abrascam, atuando como verdadeira representante dos legislativos municipais na defesa dos interesses municipais. “A Abrascam, através de seus técnicos prestou uma grande contribuição encaminhando estudos para deputados e senadores demonstrando o prejuízo que traria a redução drástica dos gastos dos legislativos. Propomos mudança nos textos das emendas para que os legislativos não sejam mais mutilados”, concluiu o presidente da Abrascam.

Suporte
Para o presidente da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, vereador Carlos Juliano Budel, “O evento é uma bela festa que temos que analisar sobre dois aspectos. O primeiro, passa pela reciclagem no sentido dos servidores se prepararem melhor ainda para a realização dos trabalhos legislativos, uma vez que são eles que dão o suporte para as Câmaras realizarem um bom trabalho”, disse lembrando que outro ponto é a importância do congresso ser realizado na cidade de Foz, que é uma cidade turística e, portanto precisa dos visitantes que os iguaçuenses sabem receber com carinho.

Edições Técnicas: a livraria do Senado

por monicaco — publicado 20/07/2009 14h04, última modificação 20/07/2009 14h04
Você quer comprar uma constituição atualizada? Vá à loja virtual das Edições Técnicas e compre. Conheça as publicações editadas pelo Senado Federal

A Subsecretaria de Edições Técnicas publica títulos de interesse do processo legislativo ou de relevado alcance social. Dentre as publicações podemos destacar:

  • Revista de Informação Legislativa, periódico trimestral em circulação ininterrupta desde 1964.
  • Constituição da República Federativa do Brasil permanentemente atualizada.
  • Estatutos do Idoso, do Desarmamento, das Cidades, das Crianças e dos Adolescentes.
  • Código Civil, de Proteção e Defesa do Consumidor, de Trânsito, Eleitoral etc.

As "Edições Técnicas" atuam como comercializadora das publicações editadas pelo Senado Federal. Citamos como exemplo as diversas coleções do Conselho Editorial.

A comercialização baseia-se em preços bastante próximos ao custo de produção industrial. Com isso o grande público tem acesso facilitado aos nossos títulos sendo atendido em nosso sede em Brasília, em feiras de livros com participação do Senado Federal e em todo o território nacional utilizando postagem pelos Correios.

Caso uma instituição deseja uma doação de livros, esta instituição pode ser uma casa legislativa, câmara municipal, bibliotecas municipais, assembléias legislativas, bibliotecas de bairros, ONGs que estimulam a leitura, poderão enviar ofício à diretoria da Subsecretaria de Edições Técnicas, especificando quantos  e quais livros desejam.

Essa solicitação é transformada em um processo encaminhado ao primeiro secretário que dará seu parecer. Caso aprovado, mesmo não sendo na quantidade solicitada a instituição irá receber os livros .

Em caso de pessoa física, basta entrar no portal do Senado, publicações, loja virtual, selecionar o livro que deseja comprar, preencher um cadastro que irá imediatamente gerar um boleto  ser pago no banco. Após confirmado o pagamento o material será enviado pelo correio para o solicitante.

Entre nas publicações do portal do Senado

e veja quais os livros que estão disponíveis para a venda e que possam interessá-lo.

 

Ações do documento