O Brasil conhece o Senado por Ondas Curtas

por Equipe Interlegis — publicado 16/09/2008 22h50, última modificação 16/09/2008 22h53
De 7h às 22h, a Rádio Senado Ondas Curtas oferece informação de forma simples e popular, mas sem perder a qualidade de conteúdo

Em um receptor de ondas curtas, basta selecionar a faixa de 49 metros e sintonizar a freqüência de 5.990 kHz. Pronto, você já está em contato com uma das maiores emissoras em ondas curtas do país: a Rádio Senado Ondas Curtas. De 7h às 22h, a rádio oferece informação de forma popular, mas sem perder a qualidade de conteúdo.

Em operação desde 2001, a versão em Ondas Curtas da Rádio Senado oferece uma programação diferente da sua matriz. Devido à falta de infra-estrutura de comunicação, a transmissão em ondas curtas é, em muitos casos, a única forma de comunicação via rádio nas regiões Norte e Nordeste. Popular sem ser populista, a Rádio Senado Ondas Curtas leva, a áreas carentes de informação, educação, interação e cidadania.

A programação foi se adaptando ao longo dos anos a um público-alvo específico: a rádio amplifica o diálogo entre o Senado Federal e as regiões afastadas das áreas urbanas do país, especialmente nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Primeiro, mudou a linguagem: saiu a formalidade, entrou a didática e a simplicidade. As sessões e as comissões do Senado são detalhadas e explicadas de maneira fácil, direcionados à população de menor nível cultural e sócio-econômico. Depois, mudaram as formas de interação. O contato com os ouvintes é direto, e pauta alguns temas abordados nos programas. "Buscamos interagir muito com os ouvintes, os estimulamos a escrever, dar opiniões, se manifestar de qualquer forma", afirma a coordenadora e apresentadora da rádio, Sandra Mattos.

Segundo a coordenadora, o número de ligações direcionadas à rádio Ondas Curtas, através do Alô Senado é de, aproximadamente, 120 por dia. As cartas também são muito freqüentes. Extensas em elogios e declarações à produção do programa, elas detalham a vida dos remetentes e demonstram a importância que a rádio possui em suas vidas.

A rádio divulga, além dos trabalhos legislativos, informações de direito (através do quadro "Fique Por Dentro da Lei"), técnicas agrícolas ("Viver da Terra") e saúde ("Pergunte ao Doutor"). Em todos, o formato é similar: a partir de questões enviadas pelos ouvintes, ou elaboradas a partir das mesmas, a rádio esclarece dúvidas com um especialista nos temas abordados.

Essa interação provoca, inclusive, uma aproximação entre os próprios ouvintes. O quadro "Balcão de Sementes" é a maior prova disso. Ao perceber o grande interesse do público pela troca de sementes de plantas diversas, o apresentador José Carlos Sigmaringa, o "Sigue", instituiu o quadro, que promove justamente o intercâmbio de sementes entre os ouvintes. Interessados na semente de baru - sucesso no interior do Pará -, por exemplo, procuravam a rádio, que compartilhava a demanda em sua programação, e retransmitia as sementes enviadas à sede da rádio. O "Balcão" volta ao ar em breve, após negociações com os Correios sobre o tipo de envelope a ser utilizado no envio das sementes.

E, é claro, a rádio também oferece uma vasta e eclética programação musical - exclusivamente nacional. "Além de tocar o que os ouvintes pedem, procuramos tocar novos artistas, mostrando a variedade da música brasileira, de todas as regiões do país", explica Sandra Mattos.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.