Vacinação do idoso bate recorde histórico

por divulgação/Interlegis — publicado 04/08/2008 11h29, última modificação 04/08/2008 12h22
Mais uma vez, o Brasil foi exemplo de mobilização na campanha contra a gripe e superou a meta de vacinação da população idosa


Mais uma vez, o Brasil foi exemplo de mobilização na campanha contra a gripe e superou a meta de vacinação da população idosa. Em 2008, 14.030.311 pessoas com 60 anos ou mais compareceram às salas de vacinação durante a Campanha Nacional de Vacinação do Idoso, realizada entre os dias 26 de abril e 16 de maio. De acordo com o balanço final da campanha, consolidado hoje, dia 29 de julho, pelo Ministério da Saúde, o número de pessoas imunizadas corresponde a 87% de cobertura - sete pontos percentuais acima da meta de 80%.

“Os resultados obtidos pelos estados e municípios foram excelentes e superaram nossas expectativas. Isso indica que a população da terceira idade confia e adere à estratégia adotada pelo governo para a prevenção de casos e óbitos por gripe”, afirma o secretário de Vigilância em Saúde, Gerson Penna. Ele ressalta que é preciso repetir este modelo bem-sucedido de mobilização para a campanha de vacinação contra rubéola, que ocorrerá entre 9 de agosto e 12 de setembro e irá vacinar homens e mulheres entre 20 e 39 anos em todo o país.  “Temos um enorme desafio que é vacinar 70 milhões de pessoas contra a rubéola. Precisamos sensibilizar toda a população-alvo e o sucesso da vacinação do idoso mostra que a população está consciente da importância dessas ações”, diz o secretário.

RECORDE - Em números absolutos, esse foi o ano em que mais se vacinou idosos no país – foram 13,8 milhões em 2007 (86,7%) e 13,5 milhões em 2006 (85,72%). Esse aumento da população de pessoas com 60 anos ou mais pode ser atribuído à melhoria da qualidade de vida dos idosos, que hoje têm maior expectativa de vida.

Em percentuais, o dado de 2008 só perde para o de 1999, quando foi implantada a vacinação contra a gripe no Sistema Único de Saúde (SUS). Porém, naquele ano, foram vacinadas pessoas com 65 anos ou mais, portanto uma base populacional menor do que a dos anos seguintes, uma vez que meta foi elevada para 70%, em 2000, e para 80%, em 2008.

Todos os estados e o Distrito Federal ultrapassaram a meta, alguns até alcançando 100% de idosos vacinados (veja tabela). Na avaliação por região, as coberturas ficaram em 96,63% no Centro-Oeste, 94,24% no Norte, 87,62% no Nordeste, 86,81% no Sul e 84,55 no Sudeste. Além disso, 88,46% (4.922) do total dos 5.564 municípios brasileiros tiveram 80% ou mais de cobertura.

Estudos nacionais e internacionais mostram que a vacina contra influenza reduz mais de 50% das doenças relacionadas à gripe nos idosos vacinados e, no mínimo, 32% das hospitalizações por pneumonias. Além disso, estudos apontam que há queda de pelos menos 31% das mortes hospitalares por pneumonia e influenza (gripe) e de cerca de 50% das mortes hospitalares relacionadas às outras doenças respiratórias. Quanto aos óbitos entre idosos, por diversas causas, o percentual de queda varia entre 27% e 30%.


Resultado final da Campanha de Vacinação do Idoso

 
AMPLIAÇÃO - Em 2008, o Brasil aumentou o percentual de cobertura de vacinação do idoso de 70% para 80% por conta da grande adesão dessa população à campanha. Em sua décima edição, a Campanha Nacional de Vacinação do Idoso trouxe o slogan "Não deixe a gripe derrubar você. Vacine-se". Foram investidos R$ 150 milhões para a realização dessa campanha, dos quais R$ 127 milhões aplicados na aquisição dos imunobiológicos, R$ 17 milhões transferidos para estados e municípios e R$ 5 milhões para apoiar a operacionalização da ação.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, em duas décadas, o Brasil seja o sexto país do mundo em população de idosos. Semelhante ao que acontece nas demais nações do mundo, o país está passando por um processo de envelhecimento rápido e intenso.

Hoje, o crescimento do fluxo de viagens internacionais e da população com mais de 60 anos (mais vulnerável) facilitam a disseminação do vírus. Isso exige da política nacional de saúde estratégias adequadas, com atenção especial à ampliação das coberturas vacinais dos grupos de risco, às pesquisas e ao desenvolvimento de vacinas.

De acordo com o PNI, o Brasil é um dos poucos países que oferece gratuitamente a vacina para pessoas com 60 anos ou mais. As campanhas de vacinação de idosos começaram em 1999. Desde então, milhões de pessoas são vacinadas todos os anos no Brasil.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.