Marina Silva participa do último dia de reunião do Parlamento Amazônico

por divulgação/Interlegis — publicado 16/07/2008 11h55, última modificação 17/07/2008 09h25
A senadora Marina Silva, esteve nesta quarta-feira (16), na sede do Programa Interlegis participando de um dos vários debates do Parlamento Amazônico – Parlamaz, no último dia da reunião da diretoria

A senadora Marina Silva, esteve nesta quarta-feira (16), na sede do Programa Interlegis participando da reunião no último dia de discussão do Parlamento Amazônico – Parlamaz, onde teve a oportunidade de falar sobre a pasta do Meio Ambiente do que foi realizado durante sua gestão, como também respondeu às indagações dos presentes.

A senadora disse  reafirmando a prioridade  da sustentabilidade que “acredito que pensar em desenvolvimento é pensar na sustentabilidade em todas as suas dimensões. Quando falo em todas as dimensões estou pensando na questão econômica, social e ambiental”, explicou.

Ao final do debate, a maioria dos presentes levantou questões sobre a construção das hidrelétricas do rio Madeira e do biocombustível. Sobre a construção das hidrelétricas no Madeira, a senadora lembrou que para a solução foi  a  construção de um arranjo técnico por meio de uma turbina de fio d’água, o que no seu entender, foi o mais sido eficaz. “A idéia dessa turbina resolveu com eficiência a questão da energia, dos peixes, da quantidade de sedimentos e da preocupação com o alagamento da Bolívia”, afirmou a senadora.

Em relação ao biocombustível a senadora disse que se deve ter muito cuidado e rigor, procurando trabalhar com uma certificação onde assegure que não haverá comprometimento com as questões ambientais, sociais e alimentícias. “Há um limite para produção de biocombustível. Terão que surgir outras fontes de produção com urgência”, concluiu Marina Silva. 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.