III Semana do Meio Ambiente – Mudanças de Atitude

por monicaco — publicado 11/06/2008 10h40, última modificação 11/06/2008 10h41
O Senado Federal, por iniciativa do Programa Senado Verde, promoveu nesta terça-feira (10), na sede do Programa Interlegis, as palestras "Diretrizes de Sustentabilidade para Edifícios Públicos” e "O Papel da Comunicação nos Conflitos Socioambientais".

Durante a manhã desta terça-feira (10), na sede do Programa Interlegis, foi realizada a palestra sobre Diretrizes de Sustentabilidade para Edifícios Públicos em comemoração a Semana do Meio Ambiente – Mudanças de Atitude. A palestra contou com a participação de Mário Viggiano, arquiteto; Fabiano Sobreira, chefe da seção de Acessibilidade e Projetos Sustentáveis – Câmara dos Deputados e Valdir Lavorato, secretário de Engenharia e Serviços de Apoio do TCU.

 

Segundo Mário existem várias causas que impedem a colocação dos conceitos de sustentabilidade na prática, entre elas: leis mau formuladas pelas instituições, pouco produto para ser utilizado, falta de informação prática, herança cultural, entre outros.

É necessário seguir critérios como: inovação e processo de projeto, sustentabilidade do sítio(ex: telhados verdes), eficiência dos recursos hídricos, energia e atmosfera, materiais e recursos(ex:madeira certificada) e qualidade do ambiente interno. “É fundamental que cada um possa fazer sua parte como projetista e principalmente saber que não adianta colocar soluções sem saber se ela é ou não viável”, explicou Viggiano.

 

Fabiano Sobreira começou seu discurso falando que uma boa arquitetura não precisa de complementos, pensar em uma construção sustentável deve ser prioridade. “Os instrumentos já existem legalmente para se atuar de forma responsável, basta que sejam bem interpretados”, afirmou.

 

Ações de Sustentabilidade também foram apresentadas por Valdir Lavorato. Ele citou mudanças feitas nas edificações do TCU, como: utilização de lâmpadas fluorescentes, interruptores individuais nas salas, reatores elétricos, troca de torneiras, utilização de papel reciclável. 

 

Durante a tarde, o debate foi sobre “O papel da comunicação nos conflitos socioambientais”, apresentada por Ivan Dutra, consultor legislativo do Senado Federal, que falou sobre os principais conceitos e aspectos legais pertinentes ao setor e deu exemplos de comunicação ambiental.

 

Ivan Dutra foi enfático ao afirmar que a sociedade precisa saber o que se passa com relação ao meio ambiente e em como a mídia tem um papel importante em manter a sociedade informada. “Alguém precisa apertar a tecla SAP dos estudos sobre o meio ambiente e mostrar o que há de importante ali, em linguagem acessível ao público”, disse Ivan, justificando a necessidade de uma mídia especializada.

 

Em seguida, José Carlos Sigmaringa, coordenador da Rádio Senado Ondas Curtas, falou sobre o Programa Sintonia Ambiental, da Rádio Senado, que através do programa começou uma “rede de troca” de sementes de plantas nativas entre os ouvintes. Um exemplo de como a comunicação pode ajudar na conscientização e preservação do meio ambiente.

 

 

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.