Interlegis faz balanço dos 10 anos e planeja segunda fase

por Brenda Ortiz e Guilherme Guedes — publicado 12/07/2007 16h37, última modificação 12/07/2007 16h40
Em reunião com os servidores a diretoria do Interlegis fala sobre a fase de transição até o início do Interlegis II

Em reunião realizada na quinta-feira (12), a diretoria do Programa Interlegis fez um balanço do que foi realizado nesses dez anos e os planos para o futuro nesta fase de transição até o início do Interlegis II. Cada diretor falou sobre o que realizou na sua área e o que pretende fazer. Coube ao diretor executivo, Marcio Sampaio Leão Marques responder às questões apresentadas pelos presentes através da intranet.

 

O diretor Márcio Sampaio reafirmou a missão inicial do programa: integrar e modernizar o Poder Legislativo Brasileiro, em suas esferas municipal, estadual e federal. Sampaio deixou claro que, apesar de todas as realizações alcançadas, o programa vai continuar a evoluir, com o aprofundamento e renovação constante de seus projetos.

 

Também foram abordadas as intenções da nova fase do Programa Interlegis, que, segundo o diretor, vai focar a consolidação da comunidade legislativa virtual formada pelo Interlegis. "A prioridade é a integração total das câmaras municipais", afirmou.

 

O contrato do Programa Interlegis com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o PNUD, se encerrará oficialmente no próximo 30 de Julho, com renovação aguardada para o início do mês seguinte. Porém, o período de transição entre a primeira e a segunda fase do programa não vai impedir que empreendimentos como o SAAP, SAPL, Portal Modelo e todo o sistema de capacitação continuem a operar normalmente.

 

O diretor da Subsecretaria de Planejamento e Fomento, José Dantas Filho disse que para o Interlegis II a novidade é a aplicação sistemática dos produtos e projetos nas casas legislativas. “A grande meta é que pelo menos 700 municípios recebam o benefício do Projeto Piloto de Modernização, que deixará de ser piloto passando a ser Projeto de Modernização do Legislativo, isso fará com que existam pelo menos 700 pólos distribuidores da tecnologia, e multiplicadores dos produtos do Interlegis”, completou. Além disso, há também o apoio internacional a Guiné Bissau, e o projeto de modernização do Congresso Nacional.

 

James Carvalho, chefe da Subsecretaria de Formação e Atendimento a Comunidade do Legislativo, destacou a importância no trabalho de padronização e reforço da marca do Programa Interlegis, e fez um resumo dos planos para o 2º semestre deste ano, em que serão realizados alguns projetos e eventos como a revista dos 10 anos do Programa Interlegis e o Seminário Nacional, com a assinatura do Interlegis II.

 

O diretor da subsecretaria de Tecnologia da Informação, Petrônio Barbosa, reconheceu os problemas que a parte tecnológica vem tendo, por falta de pessoal e equipamentos que possam melhorar o desempenho de algumas áreas importantes dentro do Interlegis.

 

A reunião foi encerrada com a boa notícia sobre os cursos do Saberes, que têm mais de sete mil usuários inscritos para essa 2ª fase, e mais de 10 mil inscritos para a próxima fase, segundo Maurício Silva, chefe do Serviço de Capacitação Legislativa.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.