Florianópolis recebe Selo de Cidade Livre do Analfabetismo

por brendaortiz — publicado 06/07/2007 14h26, última modificação 06/07/2007 14h26
Índices do IBGE comprovam que em Florianópolis o ensino é levado a sério

A cidade de Florianópolis recebeu nesta quarta-feira em Brasília o selo de Cidade livre de analfabetismo entregue pelo governo federal a 64 municípios cujos índices de pessoas que não sabem ler e escrever atinge no máximo 4%. O índice da capital catarinense é de 3,56%.

A lista divulgada pelo IBGE com localidades com baixa taxa de analfabetismo contempla 40 municípios no Rio Grande do Sul, 16 em Santa Catarina, 3 em São Paulo, 3 no Paraná e 2 no Rio de Janeiro. Para o Secretário Municipal de Educação Rodolfo Pinto da Luz os índices do IBGE comprovam que em Florianópolis o ensino é levado a sério. Ela ressalta que é investido na educação pública 31% do orçamento da prefeitura, o que equivale a 105 milhões de reais por ano, valor superior à arrecadação do IPTU de Florianópolis. O secretário cita também que somente em 2006 foram aplicados 5,2 milhões na merenda escolar, o maior valor desembolsado nos últimos sete anos. Pela qualidade da alimentação, a prefeitura já recebeu do Ministério da Educação, nos dois últimos anos, o Prêmio Gestor Eficiente da Merenda Escolar.

Sob a administração da prefeitura há 97 unidades. Entre creches e núcleos de educação infantil são 60 estabelecimentos, que abrangem 8.375 crianças de zero a seis anos. No ensino fundamental há 37 escolas, entre básicas e desdobradas, que cuidam de 16 mil 043 estudantes da primeira à oitava série. Nos 11 núcleos de Educação de Jovens e Adultos existem atualmente 1851 pessoas matriculadas. O curso está organizado em Primeiro Segmento e Segundo Segmento. A primeira fase é equivalente à alfabetização e ao antigo primário, que vai da primeira à quarta série do ensino fundamental, e o Segundo Segmento abrange da quinta à oitava série. Existem núcleos tanto na Ilha de Santa Catarina como no Continente. Pela parte insular há EJA no Centro, Costeira do Pirajubaé, Armação, Itacorubi, Ponta do Morro, Canasvieiras, Rio Vermelho, Barra da Lagoa e Trindade. No Continente os núcleos estão localizados no Balneário do Estreito e Coqueiros.

A Prefeitura de Florianópolis possui 873 professores de séries iniciais e de educação infantil que recebem um salário inicial, com dedicação exclusiva, de R$ 1.741,00 para trabalhar 40 horas semanais. Neste universo, aqueles que já estão em curso de carreira percebem em média R$ 2.649,00. Por sua vez, na mesma condição há na rede 604 professores de quinta à oitava série que ganham no início de carreira, com dedicação exclusiva, R$ 1.451,00 e após o estágio probatório passam a receber uma média de R$ 2.284,00. "Pagar bem os professores é também um dos compromissos da prefeitura da Capital", assinala o Secretário de Educação Rodolfo Pinto da Luz.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.