Dados do Censo comprovam desequilíbrio entre voto feminino e número de parlamentares mulheres

por doranunes — publicado 25/07/2006 16h45, última modificação 31/07/2006 15h18
As mulheres já são 51,53% dos votos no Brasil, de acordo com TSE, mas dados do I Censo do Legislativo brasileiro mostram que 87,2% dos vereadores são homens

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou relatório informando que 125,91 milhões de eleitores estão aptos para votar em outubro próximo. Os números disponíveis mostram que a maioria do eleitorado brasileiro é feminina com 51,53%. Em contraposição aos resultados obtidos pelas pesquisas do primeiro Censo do Legislativo no Brasil, executado pelo Senado Federal, por meio do Interlegis, 87,2 % dos vereadores brasileiros atualmente são homens. “Ainda que haja equilíbrio de homens e mulheres na população, no Legislativo a situação não se repete, porque há um histórico e acentuado desequilíbrio”, explica Telma Venturelli, coordenadora de pesquisas do Interlegis.

 

Quando o critério é grau de instrução, eleitores com o 1º grau incompleto representam 34,77%, seguidos pelos que somente lêem e escrevem com 16,92%, quase empatados com os que têm 2º grau incompleto com 16,88% do total. Os analfabetos representam 6,57% do eleitorado e os que possuem diploma universitário são apenas 3,33%.

 

De acordo com os dados do Censo, usando o mesmo critério entre os vereadores eleitos em 2004, 56,9% têm escolaridade igual ou superior ao ensino médio completo, sendo que destes 34,4 % completaram o ensino médio. Na condição entre apenas saber ler e escrever e o médio incompleto são 42,7%, sendo 17,3% com o fundamental incompleto. Entre os deputados estaduais a escolaridade é mais alta, ainda segundo o Censo do Legislativo; 97,1% têm entre ensino médio completo à pós-graduação, destes 66,5% concluíram o ensino superior e 17% concluíram apenas o ensino médio. As conclusões a partir dessas informações comparadas, de acordo com a coordenadora de pesquisas do Censo do Legislativo são “que ainda que o eleitorado não tenha o ensino fundamental completo, eles escolhem candidatos com escolaridade superior a deles para votar”.

 

O relatório do TSE informa também que houve um aumento de 9,25% no total de votantes do país, em comparação ao eleitorado de 2002. A maior parte dos eleitores estão nos Estados de São Paulo (22,27%), Minas Gerais (10,86%), Rio de Janeiro (8,65%), Bahia (7,23) e Rio Grande do Sul (6,16%). As populações que têm menos votantes são nos Estados de Roraima (0,19%), Amapá (0,29%), Acre (0,33%), Tocatins (0,70%) e Rondônia (0,79%).

 

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.