Relatório da CPI dos Bingos começa a ser lido nesta quarta

por monicaco — publicado 06/06/2006 10h19, última modificação 06/06/2006 10h20
Começa a ser lido nesta quarta-feira (7), a partir das 11h, o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos. O relator, senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), que passou o último final de semana debruçado na análise do texto final,acena com a possibilidade de indiciamento de até 70 pessoas.


Começa a ser lido nesta quarta-feira (7), a partir das 11h, o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos. O relator, senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), que passou o último final de semana concluindo o texto final,acena com a possibilidade de indiciamento de até 70 pessoas. Na lista, aparecem os nomes do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e do presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Paulo Okamotto.

Palocci é acusado de prática de corrupção durante sua gestão na prefeitura de Ribeirão Preto (SP), entre 1993 e 1996, além de ser apontado como um dos responsáveis pela quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa. Já Paulo Okamotto é acusado de intermediar recebimento de propina em prefeituras petistas para a formação de um suposto caixa dois do PT, que seria usado em futuras campanhas eleitorais. Também pesa sobre ele denúncia de que teria pagado contas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de Lurian Cordeiro, filha do presidente, com dinheiro de origem desconhecida.

A secretaria da CPI dos Bingos informou, ao confirmar a leitura do relatório, que a data de votação do documento ainda não foi marcada. É que a discussão em torno do teor do relatório pode prolongar-se, em virtude de parlamentares da base governista insistirem na tese de que o texto final deve limitar-se ao assunto que gerou a criação da CPI, ou seja, casas de bingo. Se essa não for a regra, a bancada governista ameaça apresentar um relatório paralelo, o que, acreditam os senadores, tumultuaria os trabalhos do colegiado. Em troca, o presidente da CPI, senador Efraim Morais (PFL-PB), anunciou sua intenção de prorrogar os trabalhos da comissão até o início das eleições de outubro.

A oposição defende o teor do relatório do senador Garibaldi Alves por entender que, ao longo das investigações - que tiveram início em 29 de junho de 2005 -, fatos correlatos aconteceram, razão pela qual o relator propõe o indiciamento de pessoas envolvidas em outros episódios, incluindo os assassinatos dos prefeitos petistas de duas cidades do interior de São Paulo, Celso Daniel, de Santo André e Toninho do PT, de Campinas.

Fim do mundo

Destacam-se ainda no relatório de Garibaldi episódios que marcaram o noticiário político dos últimos meses, como o esquema do mensalão; o caso da renovação do contrato entre a Gtech e a Caixa Econômica Federal; entrada de supostos dólares cubanos para ajudar a campanha do então candidato Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República; máfia do apito no Campeonato Brasileiro de Futebol; os casos Waldomiro Diniz e Carlinhos Cachoeira; e acusações de prática de lobby contra o irmão do presidente Lula, Genival - o Vavá.

Recentemente, a CPI dos Bingos -que, é claro, também investigou a utilização de casas de bingo para a prática de lavagem de dinheiro e o envolvimento delas com o crime organizado - analisou o suposto envolvimento de João Arcanjo Ribeiro (o Comendador) no assassinato de Celso Daniel. Por tudo isso, a CPI dos Bingos foi classificada por parte da imprensa de "CPI do Fim do Mundo" e de "CPI contra o PT".

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.