Câmara modifica segurança

por Assessoria Câmara dos Deputados — publicado 23/05/2006 15h05, última modificação 23/05/2006 15h06
A segurança interna da casa conta com reforço a partir desta terça- feira (23)

A Câmara dos Deputados está implantando modificações no esquema de segurança interno com a adoção de mudanças que já vinham sendo estudadas desde dezembro de 2004. Um dos procedimentos que se tornarão rotineiros a partir de agora é a revista, por meio de aparelhos detectores de metais, das pessoas que comparecerem a audiências públicas de comissões parlamentares de inquérito.

A medida será aplicada nesta terça-feira (23), na audiência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Armas com os advogados Sérgio Wesley da Cunha e Maria Cristina de Souza Rachado, acusados de terem comprado o áudio de uma sessão reservada da CPI de um técnico de som.

Além da revista rigorosa, a sessão terá uma medida adicional de segurança: as equipes de TV interessadas em montar links para transmissão dos depoimentos terão que instalar seus equipamentos até duas horas antes do horário da audiência, marcada para as 14h no Plenário 14. O mesmo procedimento já foi adotado em outras ocasiões, como nas audiências dos ex-deputados Roberto Jefferson e José Dirceu ao Conselho de Ética.

Visitação

As alterações nas medidas de segurança serão feitas também nos finais de semana e feriados, quando a Câmara recebe turistas e visitantes. O Serviço de Atendimento ao Público e Visitação Institucional alterou o roteiro das visitas, medida que já começou a vigorar no último fim de semana.

O visitante que quiser conhecer a Câmara dos Deputados vai entrar a partir de agora pelo Salão Branco (Chapelaria), onde já existe aparelho detector de metais e raio-X. Até agora, a entrada se dava pelo Salão Negro, que não possui o equipamento.

A medida será adotada até a colocação dos pórticos de detectores de metal no Salão Negro. Essas mudanças foram sugeridas por um Grupo de Trabalho formado por servidores da Câmara encarregados de propor soluções para aumentar a segurança do edifício no período de visitação. A instalação de detectores de metais no Salão Negro foi solicitada formalmente pela Coordenação de Relações Públicas da Câmara dos Deputados em março de 2005.


Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.