180 anos do Senado

por monicaco — publicado 11/05/2006 15h29, última modificação 11/05/2006 16h50 Agência Senado
O Senado comemorou com uma sessão especial, nesta quinta-feira (11), seus 180 anos de existência, na oportunidade foram lançados o portal em inglês e espanhol e um alusivo à data

http://www.senado.gov.br/comunica/180anos/
O Senado comemorou com uma sessão especial, nesta quinta-feira (11), seus 180 anos de existência, completados no último dia 6. Foram convidados para a sessão, além dos 81 senadores da atual legislatura, os 96 ex-senadores vivos e os 10 ex-servidores mais antigos da Casa.

A sessão especial foi aberta pelo 1º vice-presidente da Casa, senador Tião Viana. Compuseram também a Mesa o presidente Renan Calheiros, dois ex-presidentes do Senado – José Sarney (PMDB-AP) e Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) –, além da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Ellen Gracie.

Renan participou da cerimônia como presidente da República em exercício. Ao discursar durante a cerimônia, ele lembrou que nesses 180 anos o Brasil deixou de ser um país agrário, passou por uma rápida industrialização e viu evoluírem suas instituições políticas.

- Ao longo da História, o Senado, coerente com sua missão, defendeu e continuará a defender a idéia de uma Federação representativa e democrática – disse Renan.

O senador e ex-presidente da República José Sarney destacou que poucos Parlamentos do mundo têm tanto tempo de vida: na América, apenas os do Brasil e dos Estados Unidos. O senador destacou ainda que o Brasil é um país que tem a história marcada pelas instituições políticas.

- Fomos feitos sob a égide do poder político e não com batalhas, como os países da América espanhola - destacou Sarney.

O senador Tião Viana, na presidência da sessão, afirmou que o Senado “é um orgulho para a República e para a democracia brasileira”. Tião Viana lembrou que a história da Casa é escrita por todos os senadores que a ocupam e destacou que a oposição, apesar de maioria atualmente, sempre se pauta pela governabilidade do país. 

Na abertura da cerimônia, a Banda dos Fuzileiros Navais tocou o Hino Nacional. Após a sessão, foi oferecido um coquetel para 300 pessoas no Salão Nobre do Congresso Nacional.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.