Efraim aplaude o êxito do Interlegis I e lança nova fase do programa

por monicaco — publicado 20/06/2006 16h23, última modificação 21/06/2006 09h26
Senador fez balanço do Interlegis durante encontro das Escolas do Legislativo em Brasília e disse que o programa foi “um sonho que se concretizou”. Nova fase é anunciada e vai focar a capacitação do legislativo

Na manhã desta terça-feira (20), durante um encontro que apresentou os resultados do Interlegis e estuda a implantação da Comunidade Virtual de Educação Legislativa, o primeiro secretário do Senado Federal, e diretor nacional do Programa Interlegis, Efraim Morais, anunciou a conclusão da primeira fase do programa, chamado de Interlegis I.

 

Na ocasião, apresentado o programa, batizado de Interlegis II, que será viabilizado por uma parceria do Senado com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a exemplo do que aconteceu na primeira etapa que durou sete anos.

 

José Antonio Navia, especialista do BID, afirmou que a democracia ganhou com a implantação do Interlegis e que é importante que o trabalho tenha continuidade a partir das novas demandas que surgiram nesse tempo. “O BID vê com grande satisfação os frutos que o Interlegis colhe hoje e tem grande interesse em continuar como financiador do projeto que agora entre em nova fase”, disse. 

 

Em seguida, o senador Efraim Morais afirmou que esse é “um fim que significa um começo”. Efraim disse sentir-se orgulhoso de ter participado da primeira fase desse projeto que foi “uma construção coletiva”.  “Poucos acreditavam que chegaríamos aonde chegamos e que cumpriríamos nossas metas. Esse é um sonho que se concretizou”, completou.

 

Em relação ao Interlegis II, o senador disse ser fundamental ampliar os mecanismos de participação do legislativo brasileiro nessa nova etapa. “De nada adianta termos aparato tecnológico se não capacitarmos os recursos humanos do nosso legislativo. Só depois que capacitarmos é que nossa missão estará cumprida”.

 

Participaram também da mesa o diretor-geral do Senado Federal, Agaciel da Silva Maia, e diretor da Secretaria Especial do Interlegis, Márcio Sampaio Leão Marques.

 

Novos rumos

 

O diretor da Subsecretaria de Assessoramento Técnico do Interlegis, José Dantas Filho, fez explanação com os resultados da primeira etapa do programa e as metas para o Interlegis II.

 

Dantas começou mostrando um quadro de situações indesejáveis por que muitas casas passam no País. “No Brasil, como o I Censo do Legislativo nos mostrou, há câmaras que funcionam no mesmo prédio que prefeituras e se desviam do dever de fiscalizar o executivo”, lembrou. Confusão de funções sobre qual é o papel do vereador, exclusão política e despreparo de servidores também foram citados.

 

Em seguida, o diretor falou das soluções propostas pelo Interlegis e das estratégias traçadas pelo Interlegis I que, segundo Dantas, chega ao fim com êxito tanto de planejamento quando de execução. “Agora vamos trabalhar pela capacitação dos funcionários das casas e pela implantação de softwares e soluções modernas para o Legislativo. A educação sempre esteve presente em tudo o que o Interlegis faz”.

 

“O Interlegis II quer consolidar os produtos e modelos gerados na primeira etapa, exportar conhecimento por meio de cooperação internacional, incorporar tecnologia e acompanhar sua evolução e ser um grande fomentador da cultura de projetos relacionados ao legislativo”, disse Dantas. O objetivo é que, a médio prazo, o programa se torne um centro de tecnologia do Legislativo.

 

Em quatro anos, o orçamento previsto para o Interlegis II é de US$ 64,5 milhões, sendo 50% financiados pelo BID e outros 50% pelo Senado Federal.

 

Na parte da tarde, prosseguiu com oficinas o encontro de escolas do legislativo,em Brasília.

 

 

Thales Sabino, do portal Interlegis

(61) 3311-2617